Uma carta para meu filho: ​​De sexo e expectativas culturais
Por Maria Mache Malomalo e Memory Pamella Kadau. II Edição


Meu filho, meu maior medo é que as expectativas da sociedade e as normas culturais superem a sabedoria e as lições que compartilho com você. Frequentemente olho para os jovens crescendo em um mundo marcado pela violência sexual e desigualdade de gênero e me pergunto o que a próxima geração nos reserva. Lembro-me de dois anos atrás, eu conduzi uma sessão sobre Violência Baseada no Gênero (VBG) com estudantes de 15 anos de uma escola secundária local. PEu perguntei aos meninos o que eles fariam se, no meio de um encontro romântico com a namorada, ela recusa-lhe o sexo. “Eu vou espancaá-la”, respondeu um dos meninos com a aprovação de seus pares. O que se seguiu foi um debate acalorado sobre consentimento em relacionamentos que me deu calafrios na espinha. Garotos de 15 anos defendendo o estupro! Me questionei sobre o tipo de sociedade que estamos a criarndo e o calibre dos jovens que estamos a formarndo. Eu também percebi que como , sociedade ,privamos as mulheres de sua plena autonomia corporal, limitando a sua fruição dos direitos sexuais e reprodutivos e ensinando os meninos e os homens que os corpos das mulheres pertencem a eles .são deles.
O corpo de uma mulher é dela, não seu
Lembre-se sempre que o corpo da mulher é dela, não seu. Infelizmente, você se encontra em uma sociedade onde autonomia corporal das mulheres e a integridade física são muitas vezes ignorados e são constantes campos de batalhas políticos, sociais e econômicos. As tendências patriarcais há muito tempo definem os corpos femininos como propriedades masculinas, o que é evidenciado em actos culturais como a Mutilação Genital Feminina e o Casamento Infantil, onde as decisões são tomadas em nome das mulheres e são baseadas na necessidade constante de satisfazer os desejos sexuais dos homens.
Falando de desejos sexuais, o menino na história elaborada acima me perguntou: Será que as mulheres têm desejo sexual? Talvez seja aí que reside o problema. A maioria dos homens (e algumas mulheres) acreditam que as mulheres não têm desejos e são mais instrumentos do sexo do que seres humanos. Tenho certeza de que está se perguntando por que estou escrevendo sobre o desejo sexual e os corpos das mulheres como campos de batalha. Meu filho, a pouca valorização das emoções, expectativas e desejos das mulheres resulta no pensamento geral de que seus corpos pertencem aos homens. Até certo ponto, o estupro é um produto da crença infundada de que as mulheres são recipientes de actos sexuais em vez de participantes. Você precisa entender como o estupro viola os direitos das mulheres e meninas e como ele é muitas vezes erroneamente justificado.
De palavras degradantes e atenção não solicitada
Frequentemente vejo homens e meninos zombando de meninas e mulheres e às vezes lançando insultos disfarçados de elogios. Meu filho, gritar obscenidades e dar atenção não solicitada são formas de assédio sexual. Como mulher, passei por esse abuso. Fui chamada de “vadia” por causa das minhas roupas. Os homens me seguiam pedindo sexo. Já ouvi histórias angustiantes de velhos assediando sexualmente meninas. Lembra quando aquele homem de 20 e poucos anos, da cantinaloja perto da nossa casa assediou sexualmente sua prima? Que homem de mente certa diria a uma menina de 13 anos que deseja fazer sexo com ela e com a amiga dela? Que homem sensato daria atenção não solicitada a uma mulher? Lembra como ela tinha medo até de comprar ovos naquela cantinaloja? Lembra da minha reação quando descobri? Como chamei atenção ao homem e ameacei-o contar à polícia?
Meu filho, nunca diga nada que rebaixe uma pessoa. Lembre-se sempre de que as mulheres são seres humanos, com sentimentos e emoções que podem ser feridos. As palavras são fortes e têm o potencial de infligir danos psicológicos a longo prazo. Chame atenção aos seus amigos e membros da comunidade que normalizam o assédio e o abuso. Nunca tenha medo de castigar tal comportamento. Cada vez que passar pela sua cabeça dar atenção não solicitada ou lançar insultos a mulheres e meninas, lembre-se sempre do medo nos olhos da sua prima. Lembre-se de que suas irmãs e eu merecemos dignidade e respeito.
Consentimento sexual é sempre uma prioridade e importante
Eu sei que mais cedo ou mais tarde você vai querer fazer sexo. Sexo é normal e uma coisa linda. Preste atenção ao que estou lhe dizendo. O sexo deve ser entre indivíduos consentindo. Sempre solicite consentimento antes e durante qualquer acto sexual. Lembre-se também de que, assim que o consentimento sexual é dado em qualquer estágio, ele também pode ser retirado. Frequentemente, permitimos que nossas emoções e crenças turvem nosso julgamento. Nunca espere por um NÃO, mas sempre solicite um SIM. Lembre-se sempre: o consentimento deve ser a presença de afirmação em oposição à presença de negociação. Onde houver dúvida, considere um não e evite continuar até receber um sim.
A crença de que uma esposa ou namorada não pode negar o sexo ao parceiro é muito errada e é uma violação da liberdade de escolha das mulheres e meninas. Qualquer acto sexual sem consentimento é estupro. A história sexual anterior não é um consentimento automático para sexo no futuro. A dominação de mulheres e meninas e sua sexualidade tem levado a constantes privações do direito de escolher quando, onde e com quem praticar qualquer acto sexual. Nunca se force a ninguém, quer seja sua parceira sexual ou não. Solicite consentimento SEMPRE. Olhando para trás em minha própria vida, percebo como nossa sociedade encorajou constantemente esse comportamento. Lembro-me do dia em que seu Pai e Eu nos casamos, uma das minhas tias me disse que sexo nunca é negado a um homem. Em retrospecto, vejo como condenamos nossas filhas ao estupro e à depressão nos relacionamentos porque negamos a elas a liberdade de escolha.
O estupro é sobre poder e controle
A sociedade em que vivemos está repleta de indivíduos que acreditam erroneamente que o estupro acontece porque o sobrevivente o pediu. As perguntas feitas aos sobreviventes quando ocorre o abuso são sempre as mesmas. O que você estava vestindo? Você o seduziu? Você estava usando maquilhagem? Que horas você esteve nas ruas? Você aceitou presentes e dinheiro dele? Você estava namorando? Você já fez sexo com ele antes? Os sobreviventes são frequentemente revitimizados pela sociedade na tentativa de justificar um acto doentio. Meu filho, lembre-se que mais de 70% dos estupros acontecem dentro do núcleo familiar e entre pessoas que se conhecem. Os sobreviventes são forçados a manter silêncio sobre o estupro e mantê-lo na família. No entanto, patriarcado encontrará uma maneira de nos fazer acreditar que a culpa é das mulheres. Bebês em fraldas são estupradas todos os dias, aAvós são estupradas, mMulheres de todas as classes sociais são estupradas. O problema não é com o sobrevivente, mas com o agressor. Lembre-se sempre de que o estupro tem a ver com poder e controle.
Uma das desculpas mais absurdas que já ouvi é que, quando um homem está excitado sexualmente, ele deve fazer sexo. Eu não consigo ver qualquer lógica nesse argumento porque as mulheres, assim como os homens têm desejo sexual, mas elas não costumam recorrer ao estupro. Isso me leva ao meu ponto anterior, estupro é sobre poder. Nunca acredite em tais justificativas infundadas. Busque a verdade sempre e ilumine seus amigos que, de outra forma, estariam caminhando no escuro. Ensine-lhes a beleza do sexo consensual. 

Você não é imune a estupro
Um dos piores erros que você pode cometer é pensar que, por ser homem, o estupro é impossível. Ao longo dos anos, desenvolvi um interesse pelos primeiros encontros sexuais de homens e meninos. A maioria dos homens com quem conversei afirmaram que seu primeiro encontro sexual foi com suas empregadas domésticas e primas mais velhas quando eram menores. Embora para alguns deles, era ‘fixe’, os homens não tinham ideia de que eles eram realmente sobreviventes de estupro. Encontrei meninos que sodomizaram seus amigos mais jovens enquanto outros foram vítimas de esquemas de pedófilos. Homens também podem ser abusados sexualmente. Dado que há menos casos envolvendo homens, isso também pode ser atribuído à falta de denuncia. Meu filho, qualquer acto sexual que o deixe desconfortável e sem consentimento é uma violação. Seu corpo é seu. Estarei sempre disponível para ouvi-lo e apoiá-lo em qualquer situação. Fique atento e nunca tenha medo de falar e buscar ajuda.
Invista em relacionamentos de respeito
Enfim, meu filho, respeite a sí mesmo, a tudo e a todos. O respeito deve ser a base de toda a sua existência. Quando temos respeito por nós mesmos, outras pessoas e todos os objetos ou espécies em nosso ambiente, teremos mais harmonia e menos violência. Os crimes sexuais estão desenfreados, com sobreviventes enfrentando uma batalha difícil em sua busca por justiça e lutando com os efeitos médicos e psicológicos do trauma. Apoie os sobreviventes de violência sexual. Acredite neles.
Com amor,
Sua mãe